sexta-feira, 15 de maio de 2009

POESIA COMENTADA


Ser mãe... (soneto 052) - MÁRCIA SANCHEZ LUZ


Ser mãe é ser alguém que na alvorada

bendiz o brilho que anuncia o dia

trazendo a luz do sol em sintonia

com o burburinho de uma passarada.

Ser mãe é ser a doce madrugada

que põe um fim à mágoa doentia;

é ser também a força da magia

curando a febre que se faz calada.

Ser mãe é buscar sempre uma saída

para acalmar o coração inquieto

do filho que se fecha em seu afeto.

Ser mãe é estar atenta para a vida,

é ver além do amor que não deu certo,

fazendo de sua cria um ser liberto.


=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=
Decidi começar esta nova seção com a "prata da casa", Márcia Sanchez Luz: a prova cabal de que a Internet só é fria para quem não sabe fazer amizades ou desconfia de tudo e de todos. Pessoalmente nos conhecemos nas comemorações em SP dos 12 anos de Blocos, mas já há muito nos escrevíamos; atualmente, considero-a uma amiga querida, sempre pronta a ajudar, a incentivar, a partilhar alegrias e agonias. Este soneto, recém-enviado, me encanta porque alia técnica à emoção. É precioso: mesmo mantendo um formato clássico, o texto é atual e universal: quem tiver filhos adolescentes saberá perfeitamente do que ela está falando. E, mesmo quem não os tenha, sentirá na pele a aflição das mães ante o silêncio machucado de seus filhotes, querendo o melhor para aqueles que, um dia, ela esperançosamente deu à luz.

35 comentários:

samuca santos disse...

leila, querida:
o blog tá massa, a nova seção é o que há, você está linkada no meu bloguinho.
bjs

Márcia Sanchez Luz disse...

Leila, minha querida...

Você me comove ao extremo com suas palavras de carinho, tanto com relação ao soneto quanto no que diz respeito a mim.
Obrigada, do fundo de meu coração, pela homenagem!
E parabéns pelo belíssimo trabalho em seu blog, que nos surpreende a cada dia!

Um beijo, com meu carinho e gratidão,

Márcia

Arimatéia Macêdo disse...

Caríssima Márcia,
Li esta poesia/soneto sobre as mães. Lindíssima.
Meus parabéns.
Arimatéia.
www.arimateia.com
arimateia@gmail.com

Gustavo Dourado disse...

Leila:
Parabéns Para o primoroso blog da Leila e para o belo poema da Márcia Luz...
Gostei
Bjus
Gustavo Dourado
www.gustavodourado.com.br

Madalena Barranco disse...

Olá Leila e Márcia,

É uma das formas de poesia mais difíceis de construir, onde rimas internas e externas, métrica e sentido (como se fosse uma história contada) dançam em uníssono e fazem de tudo isso um lindo poema... Soneto é uma forma antiga de poetar que se mantém atual - eu admiro quem os faz com o conhecimento da causa - e toca a alma do leitor.

Beijos.
P.S.: e as mães merecem todos os sonetos mais belos do mundo.

neo-orkuteiro disse...

Leila, a primeira referência pessoal que tive (ainda desconhecia seu blog) foi sua pessoal amizade com Márcia, essa admirável sonetista.
Gostei de tudo o que aqui vi e li. Decidi acompanhar seu blog.
Concordo integralmente com suas palavras no presente post, assim também penso e sinto. Não há conta para o prazer que me dão todas as minhas amizades virtuais.

Chris Herrmann disse...

Leila, sou sua fã de longa data e adoro visitar Blocos Online e todos os seus sites e blogs. É sempre uma gostosa viagem cultural e um ode ao pensamento inteligente e à poesia. Este soneto da querida poeta e também amiga Márcia, reúne uma técnica impecáel com poesia e sensibilidade em cada verso. Parabéns pela escolha do Soneto e pela linda e merecida homenagem à Márcia. Beijos.

graça grauna disse...

Leila e Marcia, poetamigas: não poderia deixar de passar por varias razões, a começar pela saudade. E tem também o prazer de estar aqui, pela riqueza do texto, pela amizade, pelo carinho. Parabens a grande sonetista Marcia e a Leila que gerou um espaço libertario para abrigar a nossa poesia. Bjos de luz, Grauninha

Eliane Gobnçalves*** disse...

Querida amiga Marcia
Confesso que estou emocionada por entrar nessa casa literária, pois bateu uma saudade imensa do meu querido amigo Nel Meirelles.
Como ele adorava essa casa e a minha amiga Leila.
Mas o motivo é de alegria e sinto-me honrada por poder registrar o meu comentário sobre o seu poema maravilhoso sobre ser mãe.
Creio que essa expressão revela o que sinto: Ser mãe é estar atenta para a vida,
Será que precisa ser dito mais alguma coisa?
Creio que não.
Parabéns, amiga!

Dalton França disse...

Leila, a poesia construída pela Márcia jorra uma energia capaz de resgatar algo bem próximo do 'realismo fantástico materno'. Brilhantemente!

Aproveito a oportunidade para parabenizá-la pelo =links, thinks e things= e por seu incansável e belo trabalho em prol da autêntica literatura brasileira.

Um grande abraço!

Efigênia Coutinho disse...

Este convite de Márcia, é uma dupla aurora, pois aqui estou diante de duas grandes Mulheres escritoras, Leila e Márcia, que venho acompanhando sua trajetória literária, e aplaudindo de pé, obrigada por dividir estes momentos tão especiais de sua vida em vida Márcia, seu soneto , como sempre é soberbo, com admiração e respeito,
Efigênia Coutinho

Leila Míccolis disse...

Obrigada Samuca, amigo de tantos anos, vou linkar seu blog ao meu tb. Besos, Leila

Leila Míccolis disse...

Marcinha: parceria é parceria, em todas os dias, horas e locais. E dou muito valor a ela, assim como aos seus sonetos (ou não teria prefaciado seu livro, lógico). Portanto, nada a agradecer. Beijos, muitos, Leila

Leila Míccolis disse...

Muito grata, Gustavo, você é bem-vindo sempre. Beijo, Leila

Ligi@Tomarchio® disse...

Leila querida!
Seu Blog está o máximo!
Gostei demais do belo soneto de Márcia. Tema sempre atual e verdadeiro.
Beijinhos mil para as duas amigas queridas.
Ligi@Tomarchio®

Leila Míccolis disse...

Madalena querida, você sempre com uma palavra energética de carinho. Obrigada. Há sonetos que falam de sentimentos eternos. Porém, o de Márcia, vai além: frisa o tema do silêncio e do ensimesmamento, principalmente dos jovens, diante de momentos em que eles se sentem muito feridos, precisando de recolhimento. O bonito é a visão do ângulo materno: da aflição da mãe por pouco poder fazer, a não ser proteger a recuperação silenciosa do filho machucado.
Bjs, Leila

Leila Míccolis disse...

Neo-orkuteiro, obrigada por aproximar-se e acompanhar meu blog, também adoro minhas amizades virtuais, que nada tem de irreais ou distantes. Que possamos ampliar nossos elos em comum e trocar muitas idéias. Leila

Leila Míccolis disse...

Chris querida, você sabe o quanto gosto de seus haicais e logo logo você estará aqui, sendo homenageada também. Beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Grauninha, amiga de tantos caminhos, obrigada. Também você estará aqui, futuramente, sem dúvida. Muitos beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Eliane, é lindo este verso, não é? Mas acho que o que ainda me cativa mais são os: "(...) para acalmar o coração inquieto/ do filho que se fecha em seu afeto". Acho que estes dois versos abrem a perspectiva e fazem com que, mesmo quem não tenha filho, sinta a inquietação de uma pessoa pelo coração inquieto de algum amigo, parente ou namorado, que se fecha, de repente, mudo, trancado em sua tristeza labiríntica.
Beijos, e ótimo sábado, Leila

Leila Míccolis disse...

Dalton, muito obrigada pela presença, pelas palavras ao meu trabalho e pelo comentário sobre o soneto de Márcia. Quando pensei nesta seção, achei-a interessante, porque os autores acabam recebendo uma série de opiniões -- não apenas o meu comentário -- sobre seu trabalho, e têm, com isto, um maior horizonte de recepção de sua literatura.
Abraço, e espero que você interaja sempre. Leila

Leila Míccolis disse...

Efigênia querida, obrigada pela presença e participação. Também admiro muito seu trabalho de promotora cultural da literatura brasileira. Grande beijo, Leila

Leila Míccolis disse...

Ligia, obrigada por estar aqui, e por comentar o soneto de Márcia. Muitos beijos, Leila

ROGEL SAMUEL disse...

O POEMA É MUITO BOM, O COMENTÁRIO TAMBÉM... A ATITUDE E DISPONOBILIDADE DE LEILA DE NOS ABRIGAR A TODOS NA SUA UNIVERSAL AMIZADE POÉTICA... ESTAMOS NUM MOMENTO SUPREMO AO LER OS DOIS TEXTOS...

Dora Dimolitsas disse...

Leila minha amiga
falar de algo que vem de você
é uma honra, sou sua incondicional
fã, parabéns por seu lindo blog, e parabéns pela escolha do soneto de nossa amiga Márcia,impecavel
grande beijo da amiga e fã Dora Dimolitsas

Leila Míccolis disse...

Rogel Samuel, nem preciso dizer de minha admiração por sua literatura, você é grande em todos os estilos: teoria literária, romance, crônica, conto, poesia. Entre os muitos poemas seus que me agradam, escolherei um em especial; mas, por enquanto, não revelo qual porque é surpresa... Obrigada pelo incentivo constante, beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Queridíssima Dora, obrigada por você estar aqui, é maravilhoso receber a energia revigorante dos amigos, capaz de aquecer qualquer madrugada mais fria. Aproveito para, de público, congratular-me pela sua posse na Academia de Letras de São Paulo. Beijo muito carinhoso, Leila

Adroaldo Bauer disse...

Pai de adolescentes, sei bem o que a mãe deles e eu mesmo sentimos... o coração apertdinho, a coragem de dar-lhes coragem. Como diz Márcia, comovente.

Mauro Lúcio de Paula disse...

Márcia,
você é dessas pessoas que tem um encantamento próprio, não porque nos conhecemos pessoalmente, mas pelo o que escreve, a técnica que você domina para expressar o seu conteúdo. Parabéns por mais esse lindo soneto em homenagem às mães. Você é uma alvorada de luz na internet esse meio de comunicação tão frio e perigoso.
um abraço,
Mauro

Tania Montandon disse...

Muito lindo e comovente, a poesia e o comentário também. Envolvente até o fundo onde a alma arrepia por aqueles sentimentos difíceis de se falar sobre.

beijo

Marco Bastos disse...

Márcia não sabe disso mas é uma das responsáveis pela minha gradual reaproximação aos sonetos. Admiro muito sua poesia, Márcia - ela sempre nos mostra verdades que permaneciam antes meio nebulosas. Os adolescentes têm mesmo seus momentos de silêncio quando se encontram mergulhados nos caminhos que lhes são próprios. E é preciso ter essa sensibilidade de que aqui se fala para não "profanar os templos".
A forma e o conteúdo do soneto está perfeita.
À Leila os parabéns pela casa que se renova de uma forma sempre competente.
abraços.
Marco.

Leila Míccolis disse...

Tania querida, obrigada pela sua opinião e pela sua presença. Muitos beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Marco Bastos, obrigada pelas palavras ao meu blog. Em verdade acho que todos nós, em algum momento, temos nossas reclusões. Os amigos e parentes se afligem, mas precisamos desse tempo para refletir e seguir adiante. Faz parte do ritual do templo da vida. Abraço amigo, Leila

Rosendo disse...

Leila,
Essa é minha primeira visita ao seu Blog. Meus parabéns, assim, como Blocosonline, é uma das poucas referências culturais existentes em sites na língua portuguesa, e aqui também, percebe-se o capricho,a metodologia e o carinho, aliado a sua capacidade poética e a literatura.
A poesia de Márcia realmente vem coroar essa nova seção "Poesia Comentada", e não poderia existir tema melhor do que "Mãe".

Estão realmente de parabéns. (Leila e Márcia)

Fernando Rosendo
rosendofernando@hotmail.com

Leila Míccolis disse...

Fernando Rosendo, você sempre gentil e atencioso. Agradeço-lhe muito a presença e o presente do seu comentário. Chegue mais, as portas estarão sempre abertas de par em par para você. Leila