quinta-feira, 22 de março de 2012

Uma coruja pousou em minha defesa de tese

No dia 20 de março obtive meu título de Doutora em Ciência da Literatura / Teoria Literária. Foi um dos momentos mais emocionantes da minha vida, a coroação de muito esforço e dedicação. Para mim, um acontecimento realmente histórico, em que pude contar, na Banca, com a presença de cinco grandes representantes do pensamento acadêmico brasileiro. Foi uma espécie de prêmio, de consagração, de reconhecimento de uma vida praticamente inteira dedicada amorosamente à literatura. Um enorme turbilhão de emoções tomou conta de mim, desde o branco inicial pela tensão (nunca tinha sentido um branco antes na minha vida, é devastador), até uma presença inesperada, repleta de significantes e significados: uma linda coruja (vivo símbolo da sabedoria) que veio me prestigiar: ei-la silenciosa e discreta pousada na porta do corredor da UFRJ, a apenas dez passos da sala do meu exame, observando, meditando. Incrível? Fantástico? Mágico? REAL.


E, abaixo, a banca examinadora, meus queridos e amados professores doutores da UFRJ:


Da esquerda para a direita: Ana Alencar, Tatiana Ribeiro, Luiz Edmundo Bouças Coutinho, Henrique Cairus, Celina Mello e Rosa Gens.

Realmente sou muito muito muito privilegiada, e só tenho a agradecer a vida por tanto tipo de alegrias simultâneas.

Sim: e agora estou no Facebook: http://www.facebook.com/leilamiccolis

19 comentários:

João Esteves disse...

Que coincidência...
que nada, Leila.
A coruja sabe certas coisas coisas que nem desconfiamos. Nós só sabemos o que ela simboliza.
Congratulações pelo prévio trabalho, pela defesa, pelo sucesso e pela coruja.

Clarice Villac disse...

Parabéns, Leila !

A conquista desse título de Doutora, é natural, e vem celebrar o que a Vida já nos mostra há tantos anos, sua dedicação e amor à Literatura, valorizando os sentidos, os autores, a Vida !

A presença da coruja é inesquecível, e traz o toque extra que condiz com sua dedicação à causa da defesa animal ! É a magia da sincronicidade, é a realidade comprovando a verdade da alma !

Você merece todo o reconhecimento e carinho !

Leila Míccolis disse...

João Esteves, pois é... eu não acredito em coincidências e sim em sincronias... e tenho uma grande amizade sincrônica com os animais, até porque nunca me esqueço de que pertenço ao mesmo reino - vivo cercada deles e sempre aprendo com eles; então a presença da coruja, para além de seus diversos significados, ainda encheu-me de alegria; senti-me verdadeiramente honrada e prestigiada com a presença dela.

Leila Míccolis disse...

Muito obrigada, Clarice. Pois é, em vez do estranhamento por uma ave noturna aparecer de tarde dentro do corredor de um prédio, o que senti foi o belo sinal da vida me mostrando que a alquimia, a procura da pedra filosofal (do ouro do conhecimento) precisa caminhar junto com todos os seus outros elementos e seres vivos.
Beijos, querida.

Márcia Sanchez Luz disse...

Leila, minha querida, a coruja chegou para anunciar, em nome de todos os animais (onde me incluo), o reconhecimento de seu trabalho e o brilho existente em você, em tudo o que faz.
Já dei meus parabéns por email e por outros "mails" (adoro este seu poema):

"Sem rodeios:
nos chats,
os fins justificam os mails...
"

mas não canso de repetir que você é merecedora e que estou muito feliz por mais esta maravilhosa vitória. Que venham outras, sempre!

Beijos carinhosos

Márcia

Leila Míccolis disse...

Querida, você é uma das pessoas a quem agradeço na tese, vou enviá-la por e-mail para você guardar, quer?
No mais, obrigada, vamos ver se em maio começo a pensar no pós-doutoramento... Por enquanto, suspiro aliviada... rs... Mil beijos, Leila.

ROGEL SAMUEL disse...

bravissimo, DRA LEILA!

ROGEL SAMUEL disse...

BRAVISSIMO, DRA LEILA! QUE TODOS OS DEUSES, ALÉM DE MINERVA, QUE ESTAVA NA SUA PORTA, ABENÇOEM A SUA CARREIRA UNIVERSITÁRIA!

Leila Míccolis disse...

Rogel, muito obrigada, estava já preocupada com seu sumiço, achei que estivesse viajando. Quanto à tese, vou mandar para você por e-mail, você está em meus agradecimentos. E sobre a Minerva, agora entendo como os deuses se metamorfoseavam quando queriam encantar aos mortais...

Zilda Santiago disse...

Parabéns Leila!!Sábia coruja.
Bjsss

Cordel disse...

Parabéns, Leila:
Sucesso
Felicidade
Tudo de bom
Beijos

Leila Míccolis disse...

Muito obrigada, Gustavo, um dos corpus da tese é o Camango, cordel de Gilberto Mendonça Teles, então sempre me lembrava de você enquanto a elaborava. Beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Zilda, muito obrigada pelo carinho. Quem me dera ser tão sábia quanto os animais, eles sempre me ensinam muito em matéria de afeto e silêncio expressivo. Beijos, Leila

Anônimo disse...

Parabéns, Leila, por mais esta conquista! Você merece todas as vitórias do mundo!

Você já era nossa Doutora/PhD em tudo, só faltava mesmo o canudo!

Sou um de seus fãs-coruja!!!

Fabbio (Cortez)

Juca disse...

Parabéns! Neshikot (beijos, em hebraico). Juca.

Márcia Sanchez Luz disse...

Não só quero como já a salvei ;-)
A leitura da tese flui naturalmente e não dá vontade de parar de ler, sabia?
Obrigada pelo agradecimento incluso na tese. Como já te disse por email, estou comovida!

Beijos, minha querida!

Márcia

Leila Míccolis disse...

Fabbio, agradeço muito suas palavras. Pois é, agora, sempre que eu ou alguém falar em amiga ou amigo coruja, vou me lembrar da corujinha do doutorado... rs... Leila

Leila Míccolis disse...

Juca, fico muito contente que você esteja aqui comemorando comigo este final de ciclo. Obrigada. Beijos, Leila

Leila Míccolis disse...

Que bom que você está gostando, Marcinha. E hoje também recebi um e-mail elogioso do Gilberto Mendonça Teles (um dos autores das obras do corpus)que me deixou alegre, pulando num pé só, que nem o Saci, personagem do próprio Gilberto... risos. Beijos, querida. Leila