terça-feira, 21 de outubro de 2008

As linkagens do real com o virtual


Não gosto de blogs. Tenho preguiça de lê-los e provavelmente terei de escrevê-los. Blog é um diário que você começa com o tempo invertido. Bicho muito estranho. Tenho para mais de 50 cadernos de diários. Para mim, escrever a mão é um dos melhores jeitos de eu esclarecer algumas coisas para mim mesma. Porém nem sempre dá tempo para conversar dessa forma e, mesmo quando consigo, acabo falando de muita coisa, mas praticamente nada sobre o portal, que já me absorve quase que o tempo todo — continuar a falar dele no diário é não ter mais outro assunto na vida... Semana passada, então, comecei a ser incomodada por uma estranha sensação de que queria falar de Blocos, mas não especificamente dele, e sim do que vejo, através dele, nestas doze a dezesseis horas diárias. Há sempre uma frase, um e-mail, uma leitura que me desencadeia idéias, reflexões, comentários, piadas, sensações. E é este tipo de coisa que quero ir registrando: as linkagens do virtual com a vida, as aproximações e os desencontros. com as pessoas, através da cibercultura. Há muito o que contar, o que rir, o que reclamar, o que partilhar neste mundo virtual — real e fantástico ao mesmo tempo. Você provavelmente mesmo sem saber, já faz parte deste cotidiano, e aparecerá aqui ou com seu nome verdadeiro ou com um nome fictício. Neste último caso, de repente, você se perguntará: será que este recadinho é para mim? Melhor avisar logo para que você não descarte nenhuma possibilidade, porque qualquer semelhança pode ser vera coincidência...