quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

NATAIS E NASCIMENTOS

Sempre achei estranho esta troca de presentes no Natal. De há muito a festa cristã tornou-se uma festa pagã, quase dionisíaca — festança, comilanças, bebedeiras e exibições de poder do tipo: meu-presente-é-mais-caro-do-que-o-seu... Se o Natal é a festa de Jesus, que presente Lhe damos? Não mais refletimos o Natal, oramos o Natal, agradecemos a vi(n)da d'Ele. Menos ainda louvamos nosso Deus interior e seus cotidianos milagres, suas bênçãos e bem-aventuranças quase imperceptíveis aos nossos sentidos desatentos.
Que possamos, nesta véspera do dia 25 de dezembro, nos envolver mais com os significados deste nascimento para o mundo e para cada um de nós.
E é neste clima medidativo e de festa íntima que desejo a todos um





4 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

SIM, GRANDE AMIGA, FELIZ NATAL ESPIRITUAL, QUE VC ENTRE EM COMUNHÃO COM O NASCIMENTO DE UMA NOVA IDÉIA BRILHANTE, INSPIRADA E BELA: O NASCIMENTO DE CRISTO.
BEIJOS DO
ROGEL SAMUEL

Vivian disse...

Como diz Frei Betto numa crônica singela e cheia de verdade, 'abraçamos sem afeto' e damos maior valor às mercadorias do que às pessoas na época natalina. Parece, de fato, que o natal reduz-se a panetones, tender, peru, rabanadas. E a agonia louca de compras e o trânsito desesperado nas ruas tornam a data menos introspectiva do que deveria ser. Mesmo para os que não cultivam credos quaisquer, natal deveria suscitar pelo menos um pouco mais de preocupação com o outro. Desejo tb um ótimo 2009, pois em 2008 uma das coisas legais que aconteceram foi descobrir o Blocos!

Leila Míccolis disse...

Vivian, pois é... E tem ainda os que dizem: não gosto de datas especiais, Natal é todo o dia. Aí fico pensando: será que estas pessoas comemoram o aniversário ou festejam o seu próprio nascimento todos os dias?...
Obrigada pela aproximação, e que a luz natalina ilumine os seus caminhos no próximo ano e sempre. Leila

Leila Míccolis disse...

Rogel, querido amigo, muito obrigada; e que este nascimento crístico nos motive a viver com mais intensidade poética todos os dias. Beijos, muitos, Leila