domingo, 26 de fevereiro de 2012

CAMADAS

Ser livre não é manter-se
intocável, sem entregas,
nem se dar também, às cegas,
a tudo o que nos agrade.

Ser livre é viver a idade
que sente o nosso querer,
é viver conforme a vida
é sobretudo viver.

E viver é mergulhar
para emergir com o submerso,
ampliando, a cada dia,
os limites do universo.

          Leila Míccolis

Do livro: "Sangue Cenográfico"

2 comentários:

Clarice Villac disse...

Belo poema, a nos incentivar para a evolução emocional, espiritual !...

Leila Míccolis disse...

Com a poesia, alargamos o limite de nosso universo pessoal e contribuímos para que outros também ampliem seus horizontes. Obrigada, querida.